é só mais letras.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011



  • Ele: Mas não se mate. (silêncio) — Por favor.
  • Ela: Por favor o quê?
  • Ele: Não se mate.
  • Ela: Ah, esquece. O sol está indo embora. Só falta um terço dele.
  • Ele: Ninguém se mata por amor.
  • Ela: Agora só tem uma lasquinha dele, bem vermelha.
  • Ele: Olha, uma vez eu li um cara, um escritor chamado Cesare Pavese, que dizia assim: “Ninguém se suicida por amor. Suicida-se porque o amor, não importa qual seja, nos revela na nossa nudez, na nossa miséria, no nosso estado desarmado, no nosso nada “.
  • Ela: E o que aconteceu com ele, esse tal Cesare?
  • Ele: Se matou. (silêncio)
  • Desconhecido.

Um comentário:

Se for para falar: '-Legal aqui, estou seguindo!'
Vai por mim, não precisa.

Obrigada a quem acompanha