é só mais letras.

terça-feira, 7 de maio de 2013

Eu tô tão perdida quanto você.


Eu não sinto nada. Não sinto afeto por ninguém. 
Eu só tenho um buraco na alma e tintas jogadas nos olhos.

Eu tranzo por necessidade de alguém que eu nem conheço. Eu choro porque minha alma suplica por alivio. Eu durmo porque meu corpo se cansa fácil demais. 

Eu desaprendi a escrever depois que você entrou, pela ultima vez, naquele maldito ônibus pra são Paulo. Eu tô amarrotada de lembranças suas. Eu sinto toda noite que vou explodir de saudade. Eu durmo com a tua almofada. Eu fumo o cigarro que você fumava. Eu passo horas naquela esquina que agente bebeu. Eu faço o caminho que fazia com você chorando, soluçando. Só pra tentar matar a saudade. E não posso nem te ligar pra contar isso, porque é meu dever te deixar seguir em frente. Mas não dá! Não da pra aceitar que você ta bem. Porque eu to uma merda.

mais uma vez, sobre você
vitor.

Alinne F.