é só mais letras.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Mask

Uma hora ou outra a mascara tem que cair, mas faço o possível para mantê-la firme em meu rosto. Essa não é a hora, não pode deixar a mostra os meus olhos vermelho e minha boca seca. Preciso mantê-la aqui por mais tempo, ate que eu aprenda a lidar com essa dor. Ate que eu saiba como controlar esse órgão involuntário. As pessoas não podem me ver com essa dor de maneira tão insolente estampada nos olhos.  Elas já se acostumaram com meu sorriso ensaiado, não posso ser tão insana, não quero. E sabe incrivelmente eu me sinto bem assim. A minha mascara, que convenhamos fora construída com muitas farsas e mentiras além de lagrimas, ela ficou blindada. Blindada contra qualquer sorriso, contra qualquer troca de olhares. Assim como meu coração, que se tornou tão complexo. Tão obscuro. Tão rochoso. E provavelmente a culpa é de alguém que nem se quer se importa. É sempre assim, não?. Quem a gente mais precisa em alguns momentos é quem esta mais distante. E foi aos poucos que meu coração foi ficando petrificado. Foi por cada palavra não dita, por cada lagrima não alastrada, por cada promessa quebrada, por cada plano falhado. E foi assim, com esses detalhes que minha mascara ganhou mais resistência, mais aderência a meu rosto inchado. E dia após dia, cada milímetro de mim foi ficando mais forte, Foi aprendendo que ele só olhou para o seu próprio coração partido e não viu que o meu também se quebrou quando o mandei embora. Eu vou ficar bem, tenho plena consciência disso, mas quanto ao meu coração já não tenho tanta persuasão. (Alinne Ferreira)


Desculpem-me pela falta de sentimentos. 

Um comentário:

  1. Adorei seu blog, escrevi um texto com o mesmo tema, ha um bom tempo atrás, e pode se dizer que a vida, é um belo baile de máscaras.
    Segui seu blog, se puder da uma passadinha no meu http://posdezesseis.blogspot.com/ ;D

    ResponderExcluir

Se for para falar: '-Legal aqui, estou seguindo!'
Vai por mim, não precisa.

Obrigada a quem acompanha